segunda-feira, 19 de junho de 2017

Instalação do Linux

Neste artigo vou mostrar como instalar uma distribuição Linux. Devido à vasta variedade de distribuições não cabe neste post mostrar todas elas, mas vamos nos limitar a duas: a Mint, por ser a mais utilizada e mais amigável (na minha opinião), e a Debian, por ser uma distribuição que derivou muitas outras distros, além de muito usada também em servidores. Vou buscar focar nos pontos principais e mais complicados para o usuário não técnico. Você pode até usar um live-cd, ou seja, uma distribuição que não precisa ser instalada, que roda direto do CD. Mas isso prejudica o desempenho, pois o drive de CD/DVD é bem mais lento do que o disco rígido. Outro ponto é que todas as alterações e atualizações que você fizer no live-cd serão perdidas quando a máquina for reiniciada. Portanto, o live-cd deve ser usado como demonstração, manutenção e testes. Porém, a maioria das distribuições hoje possuem live-cd.

Como este artigo é voltado para quem está começando a mexer com Linux, suponho que você tenha um Windows instalado na máquina e não vai querer perder esse sistema. Você está acostumado com ele e, até que ganhe confiança no Linux, vai precisar usar o Windows de vêz em quando. Por isso, vamos instalar o Linux em “dual-boot”, ou seja, em um outro espaço no disco do computador de forma que você tenha os dois sistemas, Linux e Windows, rodando na mesma máquina. Ao ligar o computador, um menu de opções irá aparecer perguntando qual sistema você vai querer usar.

Antes de começar

Antes de instalar o sistema Linux é necessário preparar o Windows (mais precisamente o disco rígido e seus arquivos) para receber o novo sistema. Precisamos apagar os arquivos desnecessários de forma que você tenha pelo menos 20Gb de espaço livre no disco. Depois precisamos desfragmentar o disco, o que organiza os arquivos. Depois, como estamos falando de uma instalação de outro sistema operacional e, consequentemente, mudanças no disco, é aconselhável fazer uma cópia dos teus dados, um backup. Embora a perda de dados seja rara neste processo, é melhor prevenir do que remediar.

É necessário baixar o arquivo .iso da tua distribuição favorita e gravar o CD/DVD. Aqui, vou usar o Mint. E porque Mint? Porque, segundo o Distrowatch, é a distribuição Linux mais usada atualmente. Mas não se preocupe se quiser usar outra distribuição; o processo de instalação é semelhante, com poucas mudanças, e a única parte, digamos, difícil, é o particionamento do disco, pois isso, se for feito sem a devida atenção, pode causar perda de dados. Também suponho que você já tem o Windows instalado e não vai querer perdê-lo. Logo, vamos instalar o Linux junto com o Windows, num processo de Dual Boot

Antes de tudo, precisamos organizar os arquivos do Windows. Clique no “Botão Iniciar” e escolha “Todos os aplicativos”.


Agora vá em “Ferramentas Administrativas” e clique em “Limpeza de Disco”.


Na tela que aparece, selecione todo os itens e clique em “OK”.


Clique em “Excluir arquivos”. Esses arquivos são temporários e podem ser excluídos sem problemas. Isso vai liberar espaço no teu disco. 



Precisamos ter certeza de que temos pelo menos 20Gb de espaço livro no disco. No Windows, abra o Gerenciador de Arquivos, clique “Este Computador” e veja o espaço livre. Caso não tenha será necessário apagar arquivos ou desinstalar alguns programas, e só você poderá saber quais arquivos e programas poderão ser excluídos.

Agora que temos pelo menos 20Gb de espaço livre no disco, é altamente recomendável desfragmentar os arquivos. No processo de desfragmentação os arquivos são organizados de forma a deixar o máximo de espaço livre contínuo no disco. Para fazer isso, no Gerenciados de Arquivos, clique com o botão direito em “Disco local” e depois clique em “Propriedades”.


Na tela que abriu, clique na aba “Ferramentas” e depois clique em “Otimizar”.


Na próxima janela, selecione a unidade “C” e clique em “Otimizar”. 


Agora, grave o CD/DVD da tua distribuição. No site www.distrowatch.com você pode encontrar o link para o download de várias distribuição. No meu caso, como já informei, baixei o Mint. Coloque o CD/DVD no drive e reinicia o equipamento. Lembrando que o computador deve dar o boot pelo CD/DVD. A tela abaixo deverá aparecer. Caso não apareça, verifique se o micro iniciou pelo CD/DVD, e não pelo HD. Verifique também que o imagem .iso foi gravada corretamente e se o arquivo não estava corrompido.


Após o processo de boot, a tela abaixo do Mint irá aparecer. Você pode testar a distribuição sem precisar instalá-la, mas o desempenho não será o mesmo. Para começar o processo de instalação, dê um duplo clique no ícone “Install Linux Mint”


Escolha a linguagem e clique em “Continuar”.


Clique em “Continuar”.



A próxima tela é a mais perigosa, pois envolve o particionamento do disco. Vamos redimensionar a partição Windows para que sobre espaço para o Linux ser instalado. Se você está acostumado a instalar programas usando “Avançar”, “Avançar” e “Concluir” eu sinto em te informar que você vai perder seus arquivos (aliás, se você está lendo este livro é porque você quer aprender). Então, escolha a última opção, “Opção avançada” e clique em “Continuar”.


Na próxima tela são mostradas as partições usadas pelo Windows. Por padrão, o Windows 7, 8 e 10 fazem duas partições que você pode ver aqui como /dev/sda1 e /dev/sda2. A /dev/sda2 é onde se encontra o drive “C” do Windows e é esta partição que precisamos redimensionar. Para fazer isso, selecione a partição e clique em “Change...”.


O Linux precisa de pelo menos 20Gb (20000 MB) para poder trabalhar. Portanto, no nosso exemplo, a partição Windows cotinha 63Gb e deixei-a com 40Gb. Entre com o tamanho da partição e clique em “Ok”. 


Clique em “Continuar”.


Repare que agora temos um espaço livre no disco. Selecione-o e clique em “+”.


Vamos deixar um espaço para a memória virtual, também chamada de SWAP. Veja quanta mamória RAM o que equipamento tem. Eu sugiro que a soma da memória RAM com a SWAP seja de pelo menos 4Gb. No nosso caso, eu deixei 22000 MB (22 Gb) para a partição raiz (“/”). Selecione “Lógica” e “Início deste espaço”. Em “Usar como” selecione “Sistema de arquivos com journaling Ext4”. Em “Ponto de montagem” escolha “/”. Há vários outras partições que poderiam ser criadas, como a “/home”, mas eu prefiro simplificar esse processo neste momento. Quando você estiver mais familiarizado com o Linux você poderá personalizar a tua instalação. Agora clique em “Ok”. 


Agora temo uma outra área livre, que no nosso caso contém 1900 MB. Selecione essa área e clique em “+”.


Em “Usar como” escolha “Área de troca (swap)” e clique em “Ok”.


Agora temos uma partição swap. Clique em “Instalar agora”.


Clique em “Continuar”. Agora o Linux realmente  vai gravar as mudanças no disco,  redimensionar e formatar as partições.


Agora escolha a cidade onde você está para que a sistema carregue o fuso horário correto. Clique em “Continuar”.


Escolha, na janela da esquerda, o layout do teu teclado. Provavelmente deve ser “Português (Brasil)”. Do lado direito, escolha “Português (Brasil)”. Teste a configuração do teu teclado no espaço em branco logo abaixo. Se estiver ok, clique em “Continuar”. 


Agora você deve configurar o teu usuário, senha, e o nome da máquina. Se quiser, pode também criptografar os teus arquivos, ou permitir o login automático. Após, clique em “Concluir”. 


Pronto! O Linux Mint está instalado. Basta clicar em “Reiniciar agora”. 


Quando o computador ligar, a tela abaixo irá aparecer. Nela você pode escolher a última opção se quiser carregar o Windows. O Linux será carregado automaticamente em 5 segundo se nenhuma opção for escolhida.


Na tela de login, digite o teu usuário e clique em “Ok”.


Após digitar a senha a tela abaixo vai aparecer. Você já pode explorar o teu Linux!